Temps  2 hores 48 minuts

Coordenades 800

Data de pujada 29 / de març / 2015

Data de realització de març 2015

-
-
278 m
102 m
0
1,9
3,8
7,59 km

Vista 1171 vegades, descarregada 10 vegades

a prop de Cheleiros, Lisboa (Portugal)

Início/ Fim do Percurso: Igreja dos Cheleiros
Época aconselhável: Primavera/ Outono

Penedo do Lexim
É conhecido como sendo um dos pontos-chave para a compreensão do Neolítico e da Idade do Cobre na Península Ibérica. Utilizado durante o Neolítico final, Calcolítico e Idade do Bronze, épocas das quais restam artefactos diversificados.

No Penedo do Lexim observam-se os restos de uma chaminé vulcânica, o magma que a formou sofreu arrefecimento lento e gerou minerais bem desenvolvidos e arranjados em forma de colunas prismáticas.

O magma sofreu arrefecimento lento e gerou minerais bem desenvolvidos (basalto holocristalino) e arranjados em forma de colunas prismáticas. O basalto alcalino das colunas prismáticas é constituído por cristais de olivina, piroxenas e feldspatos sob a forma de minerais desenvolvidos, visíveis a olho nú, isto é, apresenta uma textura porfíritica.

Este local, com origem no complexo vulcânico da região de Lisboa, foi, em tempos, uma pedreira onde se realizava extracção de basalto. Hoje em dia, é considerado património geológico.

Existem também basaltos com deposição de argila. E solo constituído por minerais ferromagnesianos e portanto bastante rico para a agricultura.

Do topo do penedo observa-se uma agradável paisagem natural.
Penedo do Lexim É conhecido como sendo um dos pontos-chave para a compreensão do Neolítico e da Idade do Cobre na Península Ibérica. Utilizado durante o Neolítico final, Calcolítico e Idade do Bronze, épocas das quais restam artefactos diversificados. No Penedo do Lexim observam-se os restos de uma chaminé vulcânica, o magma que a formou sofreu arrefecimento lento e gerou minerais bem desenvolvidos e arranjados em forma de colunas prismáticas. O magma sofreu arrefecimento lento e gerou minerais bem desenvolvidos (basalto holocristalino) e arranjados em forma de colunas prismáticas. O basalto alcalino das colunas prismáticas é constituído por cristais de olivina, piroxenas e feldspatos sob a forma de minerais desenvolvidos, visíveis a olho nú, isto é, apresenta uma textura porfíritica. Este local, com origem no complexo vulcânico da região de Lisboa, foi, em tempos, uma pedreira onde se realizava extracção de basalto. Hoje em dia, é considerado património geológico. Existem também basaltos com deposição de argila. E solo constituído por minerais ferromagnesianos e portanto bastante rico para a agricultura. Do topo do penedo observa-se uma agradável paisagem natural.

Comentaris

    Si vols, pots o aquesta ruta.